Normas de submissão e publicação de artigos

    Forma e preparação de manuscritos

    Todos os originais devem conter a versão final do texto, pronta a publicar, devidamente revista de gralhas, e, quando incluírem materiais gráficos ou icónicos, estes devem ter uma boa definição, com indicação clara dos locais do texto onde devem ser inseridos.

    1. O texto informático (em ficheiro WORD) deve ser enviado por correio eletrónico para apem1991@gmail.com

    2. Os artigos não devem exceder 40.000 caracteres, incluindo espaços, notas e referências bibliográficas e excluindo os resumos.

    3. As recensões não devem exceder os 10.000 caracteres (espaços incluídos).

    4. Cada artigo deve ser acompanhado de um resumo, com o máximo de 750 caracteres, traduzido para três línguas, sendo o português e o inglês OBRIGATÓRIOS, e espanhol ou francês.

    5. O título do artigo deve ser traduzido nas mesmas línguas dos resumos.

    6. Devem preceder o texto, situando-se após o título, autoria e filiação institucional da(s) autora(s) ou autor(es) bem como, obrigatoriamente, a indicação do respetivo ORCID ID (https://orcid.org/).

    7. A seguir a cada resumo, devem ser indicadas 4 ou 5 palavras-chave, traduzidos nas mesmas línguas dos resumos, apresentadas em minúsculas (com exceção da 1.ª da lista), separadas por vírgula e terminadas em ponto final.

    8. A ex æquo segue a grafia do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 – em caso de dúvida consultar: http://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=lince

    9. Cada autor/a deve enviar uma breve nota biobibliográfica, que não exceda 500 caracteres, e o endereço postal e eletrónico.

    10. Todas as citações devem ser traduzidas para a língua em que o texto é publicado.

    11. Todos os originais devem:

        a) vir acompanhados de um título abreviado (no máximo 4 palavras), destinado aos cabeçalhos;

        b) Para além do endereço de correio eletrónico, deve ser fornecida a filiação institucional das/os autoras/es, cuja identificação deve conter os seguintes elementos:

            - Nome por extenso e por sigla da(s) instituição(ões) de pertença (máximo duas);

            - Código postal e cidade em que se situa(m);

            - Nome do(s) País(es);

            - endereço eletrónico de todas as pessoas autoras;

    12. Na composição e formatação dos textos devem ser tidas em conta as seguintes orientações:

       a) sugere-se a utilização de, no máximo, dois níveis de titulação, sem numeração ou com numeração árabe;

       b) as transcrições deverão abrir e fechar com aspas, quando não excederem 40 palavras; no caso de citações mais longas, devem ser entalhadas e transcritas sem aspas e sem itálico;

       c) os vocábulos noutras línguas que não aquela em que o artigo está escrito devem ser formatados em itálico;

       d) os elementos não textuais devem ser organizados em quadros, gráficos ou figuras, identificados com numeração árabe contínua para cada um destes tipos de elementos; todos devem ter um título e indicada a respetiva fonte;

       e) nas chamadas de notas devem utilizar-se apenas números sem parênteses;

    As referências bibliográficas devem ser indicadas entre parênteses no corpo do texto, de acordo com o seguinte padrão: (Leach 1993, 103); (Balibar e Wallerstein 1991, 80-84); (Yuval-Davis 1997a); (Yuval-Davis 1997b).

    No texto, quando se citam autores/as diferentes e obras diferentes sobre uma mesma ideia deve respeitar-se a ordem cronológica, elencando as referências da mais antiga para a mais recente (e a ordem alfabética dos Apelidos, quando se trata de obras com a mesma data).

    Ex: (Rosende 2002; Miller e Clark 2008; Lo Sasso et al. 2011; Riska 2011)

    No final do artigo deve incluir-se a lista de obras citadas, apresentada segundo a norma The Chicago Manual of Style (17.ª edição - cf. https://www.chicagomanualofstyle.org/home.html):

    - Livro com um/a autor/a: Apelido, Nome próprio. Ano. Título do livro (em itálico). (edição) (se for relevante). Local de edição: Editora.

    Ex: Lamas, Maria. 1948. As Mulheres do Meu País. Lisboa: Actuália Lda.

    - Livro com duas/ois ou três autoras/es: Apelido, Nome próprio, Nome próprio Apelido, Nome próprio Apelido, e Nome próprio Apelido. Ano. Título do livro (em itálico). (edição) (se for relevante). Local de edição: editora.

    Ex: Pimentel, Irene Flunser e Helena Pereira de Melo. 2015. Mulheres Portuguesas – História da vida e dos direitos das mulheres num mundo em mudança. Lisboa: Clube do Autor.

    - Livro com quatro ou mais autoras/es: Apelido, Nome próprio (da/o 1.ª/º) et al. Ano. Título do livro (em itálico). (edição) (se for relevante). Local de edição: editora.

    Capítulo ou parte de livro - Apelido, Nome próprio. Ano. “Título do capítulo.” In Título do livro (em itálico), editado (ou organizado) por Nome Próprio Nome de Família, Nome Próprio Nome de Família, e Nome Próprio Nome de Família, número das páginas. Local de edição: editora.

    Ex: Piscitelli, Adriana. 2009. “Gênero: a história de um conceito.” In Diferenças, igualdade, organizado por Heloísa Buarque de Almeida e José Szwako, 116-149. São Paulo: Berlendis & Vertecchia.

    - Artigo de revista: Apelido, Nome próprio. Ano. “Título do artigo entre aspas.” Título da revista (em itálico) volume (número): números das páginas apresentados com travessão.
    Ex: Guimarães, Elina.1986. “A mulher portuguesa na legislação civil.” Análise Social XXII (92-93): 557-577.

    Ou no caso de indicação de volume e número da revista e no caso de o artigo ter DOI, a referência deve ser assim apresentada:

    Crenshaw, Kimberle. 1993. “Mapping the margins: Intersectionality, identity politics, and violence against women of color”. Stanford Law Review 43 (6): 1241-1299. DOI: https://doi.org/10.2307/1229039

    Artigo com duas/ois ou três autoras/es: Apelido, Nome próprio, Nome próprio Apelido, Nome próprio Apelido, e Nome próprio Apelido. Ano. “Título do artigo entre aspas.” Título da revista (em itálico) volume (número): números das páginas unidos por travessão.

    Sempre que a publicação tenha associado um DOI, este deve ser impreterivelmente incluído nas referências bibliográficas, como no exemplo acima.

    - Documento na Internet: Apelido, nome próprio. Ano. Título do documento. Disponível no endereço … [Consultado em …… (data segundo a fórmula dia de mês de ano)]

    - Publicações em revistas na Internet: Apelido, Nome próprio. Ano. “Título do Artigo (entre aspas)”. Título da Revista (em itálico) volume (número): números das páginas unidos por travessão. Disponível em … . Acrescente o DOI (se não estiver disponível, acrescente o URL).

    - Locais na Internet e páginas pessoais ou de instituições sem data: Nome. Título do Documento. Disponível em ….. . [Consultado em …… (data segundo a fórmula dia de mês de ano)].

    Em caso de dúvidas ou para outro tipo de referências, consultar: http://www.chicagomanualofstyle.org/tools_citationguide/citation-guide-2.html

    NOTA: ANTES DE SEREM ENVIADOS PARA A ARBITRAGEM CIENTÍFICA, OS TEXTOS SÃO OBJETO DE UMA PRIMEIRA TRIAGEM PARA VERIFICAÇÃO DE QUE CUMPREM TODAS AS REGRAS AQUI APRESENTADAS

    Processo de apreciação dos artigos

    • Os textos submetidos à revista são objeto de uma primeira triagem (realizada pela Equipa Editorial) para verificação de que cumprem todas as regras aqui apresentadas e de que são originais. Em caso afirmativo, seguem para a arbitragem científica.
    • Os artigos enviados à ex æquo para publicação são submetidos à emissão de pareceres por duas pessoas, double blind peer review, especialistas na respetiva área em que o texto se enquadra ou referencia. Os textos são enviados sob anonimato aos/às referees, a quem é solicitado que o parecer emitido tenha em conta, de acordo com a ficha de avaliação: a adequação e enquadramento do artigo nos objetivos da revista ex æquo; a sua qualidade científica; a pertinência, originalidade, clareza e coerência de conteúdos; a adequação, atualidade e cumprimento das normas consagradas da bibliografia; a pertinência, adequação e explicitação da metodologia e da informação; a clareza da escrita e a coerência e o equilíbrio formais. Os pareceres deverão incluir uma recomendação em relação a possível publicação, entre as seguintes: aceite sem restrições; aceite com restrições (indicando quais); rejeitado. Será ainda solicitada a indicação de sugestões e sua justificação, para melhoria da qualidade científica do artigo submetido a parecer, a ser enviadas, sob anonimato, à(s) pessoa(s) autora(s).
    • A Equipa Editorial pode sugerir aos/às autores/as a revisão dos artigos propostos, mediante as indicações constantes dos pareceres recebidos dos/das referees e condicionar a sua publicação a uma nova apreciação das versões revistas. A Equipa Editorial pode ainda comunicar aos/às autores/as que os artigos propostos foram aceites sem restrições ou rejeitados, baseando-se nos pareceres recebidos dos/as referees.

    Direitos de publicação

    • Os/as autores/as dos textos publicados na ex æquo autorizam a transferência dos direitos de edição, publicação, distribuição e reprodução dos artigos para a revista, tanto nos suportes em papel como eletrónico. A transferência destes direitos é feita a título gratuito, não cabendo à ex æquo outra retribuição para além da oferta aos/às autores/as de 2 exemplares do número da revista em que o seu texto tenha sido publicado.
    • No caso de os/as autores/as pretenderem republicar, reutilisar, distribuir ou depositar num repositório institucional um artigo aceite para publicação na ex æquo poderão fazê-lo, sendo apenas obrigatória a referência à publicação original na ex æquo, tal como definido pela licença Creative Commons Atribuição CC BY NC, que a revista adotou.